quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Elegia ao Cofre_Parte 1

"A tampa da caneta,
escorrega entre os dentes.
Enquanto contemplo
o cofre
do vizinho da frente
que pelo visto
tá bem suado."
Marcus

2 comentários:

Lida disse...

eiii Marcus
adoreiiii essas poesias marginais
seeerio meeesmo...!
seu blog tah ficando muuuito legal

essa foi uam das q eu mais gosteii
tah dificil viuu
todas sao boass

te adoooro
beeeijos
;**

Heloísa disse...

Poh sobrinho, vc ficou de boca aberta vendo o "cofrinho" do vizinho? inda se fosse da vizinha, kkkkkkkkkkkk.
Olha, mas umas vinte dessas e vc jah estará apto a fazer poemas, falta soh se apaixonar, hehehehe, aih vc vai ver... a rima, as idéias vaum mudar e fluir abundantemente.bjssss